Escolhemos o caminho da luta ao da conciliação (vladimir llyitch uliánov lenin)

domingo, 18 de dezembro de 2011

O VALOR DE UMA ILUSÃO

O Natal da Burguesia
O NATAL DA FALSA ESPERANÇA

    Se alguém vier me dizer que o natal é uma mera festa de troca de presentes, eu diria a esta pessoa que ela está enganada. O Natal é na verdade a festa Pagã Cristã mais esperada do ano. Ele é simbolo de benevolência, alegria, fraternidade, e companheirismo. Não sei dizer quando ele começou, mas deu certo. Tornou-se parte da cultura Ocidental e invadiu o Oriente também. Menosprezar esse grande evento mundial, é pura arrogância.
   Eu digo que é uma festa Cristã em respeito aos seguidores do Nazareno, nascido no mês de março (segundo historiadores), e crucificado em um madeiro pelos Romanos, por atos de insubordinação ao sistema politico da época. Eu aceito o fato solene daqueles que o tem como libertador, assim como temos Che Guevara, um libertador mais atual, também morto pelo mesmo sistema de domínio,  vigente a milênios. Quando me refiro a uma festa Pagã, pelo culto ao Deus Tamuz (o deus sol), filho de Semíramis, é porque a ele cabe o ritual de comemoração do seu nascimento em 25 de dezembro. O simbolo desse ritual, é uma arvore natalina enfeitada com presentes em sua volta.
    Metafisica à parte, o sistema capitalista soube usar essa bela cultura para escoar o excedente de sua produção, incentivando com diversos artifícios, o consumo desmedido e até endividador do proletariado. Tornou-se obrigação moral-religiosa a participação nesta festa, sob pena de isolamento social. Nesse ponto, há de se convir que os azes do capital souberam manipular sorrateiramente as emoções do trabalhador.
    Dentre os apelos para o consumo vale de tudo. Até ir pra cama com Daniel! Famoso artista que tem como apelo a participação de mulheres em rádios para gerar audiência, para vender mais CDs do cantor, e no consumo de colchões. Além disso ele tem cantado uma musiquinha encomendada repleta de apelos sentimentais e fraternais que não revelam a realidade objetiva em que vivemos. Com certeza o Natal dele e de milhares da burguesia midiática, será bem diferente do corriqueiro trabalhador.
    A falsa aparência de felicidade no Natal, e de um ano cheio de esperanças renovadas, vendida a preço de ouro pela burguesia, é uma arrogância desmedida. No momento em que o Pais vive uma recessão econômica disfarçada, provocada pelas falhas do sistema capitalista mundial a que estamos atrelados, com perspetivas de baixos crescimentos para 2012. Com o desemprego em alta mesmo no período Natalino ( a taxa  oficial já passa de três milhões ), com a perda de poder de compra do salário minimo, com o aumento da cesta básica, com o aumento da violência na sociedade por conta da insatisfação social, tendo como pivot a ausência da universalização do trabalho. Como consequência, se projeta mais prisões para uma população carceraria crescente, que ultrapassa seiscentos mil homens. A saúde, necessidade básica do trabalhador para continuar produzindo, não conseguiu melhoras em dez anos de alternância de poder entre os representantes da burguesia, seja da extrema direita ou da dita esquerda. O IDEB foi um fracasso. E a cada dia se vê jovens terminado o ensino médio sem saber escrever corretamente. O volume dos que necessitam de universidade aumenta a cada ano e o governo não consegue suprir a demanda. O saldo negativo é de mais de quatro milhões de estudantes sem universidade todos os anos. O número de crianças de rua cresce neste natal. E a burguesia ainda canta pela paz, felicidades e esperança.
Natal dos Excluídos
    Por essas e outras, é que não pretendo seguir o curso do rio  na cultura Natalina, Pagã-Cristã. Viver de ilusão é morrer aos poucos, é ser conivente, é lavar as mãos na pia da soberba. Compactuar com falsas esperanças, é no minimo desumano.
    Tenho amigos afirmando que posso morrer lutando contra o Estado burguês. Não me assusta o medo da morte que ainda não vi. A visão de uma falsa felicidade diante de  toda essa miséria, é que me faz pensar, que pode ser pior seguir vivendo.
   

    

domingo, 30 de outubro de 2011

CRIANÇA INFELIZ, QUEBROU O NARIZ

Criar falsa esperança nas crianças
 é um crime
O CRIME DA FALSA ESPERANÇA
    Recebi um convite da Carlinha, minha amiga do Face Book, para participar de um evento comemorativo do dias das crianças, aqui em Porto Velho. Cargas d'agua não pude comparecer.
    Fico considerando, quantos milhares de eventos aconteceram por esse Brasil afora, organizados pela pequena burguesia e suas ONGs.  Pessoas bem intencionadas e de bom coração. Que buscam à sua maneira, atenuar as diferenças sociais que a democracia de classe, burguesa, impõe aos filhos do proletariado.
    Mais de quarenta anos se passaram e eu também era uma criança feliz. Os pequenos burgueses de minha época também faziam festas, distribuíam bolos, bolinhas, apitos e toda sorte de itos. Sempre com a promessa de um futuro melhor. Quando degusto uma fatia de bolo no dia das crianças,  lembro da imagem de um homem: Delfim Neto. Economista do Governo Costa e Silva, que congelou os salários dos trabalhadores e aumentou as tarifas públicas. E que comparou a economia a um bolo, dizendo que era preciso fazer o bolo crescer para poder dividir. Eu e milhões de filhos de trabalhadores cresceram  junto com o bolo. Mas não recebemos a nossa fatia. Ele também ficou conhecido como: M. dix pour  cent (senhor dez por cento). Era como os franceses o conheciam, por cobrar 10% de gorjeta por privilégios concedidos, em transações do governo Brasileiro com empresários Franceses. Essa parte do bolo não foi para as crianças de minha época..
    Há de se convir que uma criança ao receber uma simples lembrança, pela comemoração do seu dia, liberta-lhe um sorriso de encanto, e por certo faz do mundo um pouco melhor. No entanto, os pequenos burgueses que o promovem, esquecem ou não sabem que esse norte, não as libertará das contradições do sistema, que eles mesmo sustentam. Quando elas crescerem, assim como eu cresci, o sorriso se transformará em um pranto de dor. O mesmo que sente todo trabalhador. Ela saberá que não haverá espaço suficiente para todos, apenas um ou outro conseguirá, pois o sistema não suporta à todos. Os qualificados, serão os filhos da burguesia, que abrirão as poucas portas para uma vida decente. No mais, só restarão as lembranças do bolo, do carrinho ou boneca, e dos apitos. Mentir para as crianças ou criar nelas uma falsa esperança, é um crime maior. O norte do dia das crianças precisa ser repensado. A verdade precisa ser dita a elas afim de que não cresçam indignadas, mas revoltadas, e assim, possam pela força coletiva que possuem, ao cresceram, derrubar a força de classe que as oprime e domina.
    Não houve no passado e não haverá no futuro, esperança para as crianças filhas da labuta. O nariz do seu amanhã está quebrado, e não haverá calcificação social, sem que a ditadura capitalista burguesa seja engessada, e elas voltem a sorrir com um novo modelo democrático. A democracia popular.

domingo, 23 de outubro de 2011

DEUS E A MISÉRIA HUMANA



A Tirania Divina


Aii de mim!
Aii probre de mim!
Aqui estou ó Deus para entender que crime cometi contra vós?
Mas sei nasci, eu já entendo o crime que cometi,
Ai está motivo suficiente para vossa justiça,
Vosso rigor, pois o crime maior do homem é ter nascido.

Para apurar meus cuidados, só queria saber que outros crimes cometi contra vós
Além do crime de nascer, não nasceram outros também?
Pois se outros nasceram que privilégios tiveram que eu jamais gozei?

Nasce uma ave, embelezada por seus ricos enfeites não passa de flor de plumas
Ramalhete alado quando veloz, cortando salões aereos!
Recusa piedade ao ninho que abandona em paz
E eu, tendo mais instinto tenho menos liberdade?

Nasce uma fera, com a pele respingada de belas manchas que lembram estrelas
Logo atrevida, feroz, a necessidade humana lhe ensina a crueldade
Monstro de seu labirinto!
E eu, tendo mais alma tenho menos liberdade?

Nasce um peixe aborto de ovas e lodo,
E feito um barco de escamas sobre as ondas, ele gira, gira por toda a parte
Exibindo a imensa habilidade que lhe dá um coração frio
E eu tendo mais escolha tenho menos liberdade?

Nasce um riacho, serpente prateada que dentre flores surge de repente,
De repente, entre flores...
Se esconde onde música celebra a piedade das flores!
Que lhe dão num campo aberto a sua fuga
E eu tendo mais vida tenho menos liberdade!?

Assim, assim... Chegando a esta paixão um vulcão qual etna!
Quisera arrancar do peito, pedaços do coração...
Que lei, justiça ou razão pode recusar aos homens privilégio tão suave
Exceção tão única que Deus deu a um cristal, a um peixe, a uma fera, a uma ave?
(monologo segismundo)

domingo, 2 de outubro de 2011

O COMANDO VERDE


Símbolo do Comando
Verde

ENTRE A INTENÇÃO E O GESTO



    A despeito do que propaga as estatísticas, a pobreza aumenta entre os Brasileiros. Basta olhar em volta nas grandes metrópoles. A inflação galopante corroí o salário mímino. Ganhar mil reais, como grande parte dos Bresileiros, não significa mais nada. o DIEESE afirma que o salário deve ser pautado na órbita de R$ 2.293,31. Mas a burguesia insiste em R$ 545,00. Assim podemos resumir,  que os apelos técnicos de pouco valem, diante dos apelos do capital em busca de maiores lucros, sob a égide da exploração humana.
    Nesse norte, se propaga as grande favelas chamadas gentilmente de comunidades. No seio delas, os grupos do lumpemproletário, se organizam em comandos, sejam eles Vermelhos, Terceiros, Ada, Primeiro Comando e outros.
    Não há nada de espantoso nisso, como disse Karl Marx: “Uma acumulação de riqueza em um pólo da sociedade indica a acumulação de miséria e trabalho no outro.” A medida que o Estado oprime com politicas de repressão, o lado da miséria e trabalho, as organizações reprimem o Estado, em sua tentativa de querer convencer com discurso, o  inconvensivel.
    O fato é que o trabalhador não tem muita escolha, de um lado o Estado opressor, do outro, as organizações armadas. Ambas são ruim para uma sociedade livre. No entanto, o proletariado em sua consciência, sabe distinguir em certo nível, o mal maior. O exemplo disso, está na comunidade do Alemão no Rio de Janeiro.
    O projeto de pacificação do Estado Burguês, na gerência de Sérgio Cabral, envolve nada mais que as forças armadas. Esta instituição voltada para a repressão, e com um passado nada glorioso, pautado na tortura, sequestro, e morte de trabalhadores ao longo da história, volta ao cenário sedenta de horrores; e recebe a resposta dos oprimidos em forma de faixas e protestos. Utilizar a força para "pacificar", em detrimento da dialética, da concessão de uma liberdade substantiva, é no mínimo um erro histórico e uma arrogância política.
    As faixas expostas na comunidade por populares revelam essa consciência: "governador trocou seis por meia dúzia. A ditadura continua.", "O povo do Alemão é humilhado pelo Exército. Sai o Comando Vermelho, entra o Comando Verde."

Genral Leme Justo
Chefe do Comando Verde

     O Chefe do então intitulado Comando Verde, General Leme Justo, afirmou que o policiamento continua reforçado, mas somente as pessoas de "comportamento suspeito" estão sendo revistadas. "Não podemos fazer a revista durante todo o tempo, senão a comunidade não circula. Vai interferir no direito de ir e vir das pessoas. Por isso, essas operações são eventuais". Belo discurso.
    O fato, respeitável  General, é que existe um abismo profundo entre a intenção e o gesto.

domingo, 11 de setembro de 2011

ONZE DE SETEMBRO

A TERGIVERSAÇÃO DA HISTÓRIA
 


11 de Setembro de 1973
Palácio de La Moneda Chile
   Hoje é um dia de reflexão. Um dia que nos faz lembrar uma das maiores tragédias da história. Um trauma inesquecivel para os trabalhadores das Américas e do mundo. O sangrento 11 de Setembro de 1973 em Santiago do Chile, marcou o método que a burguesia utiliza para manter seu Status Quo de classe dominante, a violência
armada.
     Às 6h da manhã, o General rebelde Augusto Pinochet ordena o bombardeio do palácio de La Moneda, onde se encontra o primeiro presidente socialista eleito democraticamente por maioria absoluta, em todas as Américas. Salvador Allender Gossens. O Chile era na época o pais de maior participação democrática na América Latina, com fortes organizações populares, sindicais, socialistas e comunistas.
    Os EUA que estavam em plena guerra fria com a URSS, então preferiam não carimbar o golpe a fim de evitar um confronto direto com o bloco comunista. Utilizaram o Governo Brasileiro, na pessoa do embaixador Antônio Cândido Câmera Canto. O reacionário diplomata Brasileiro foi o primeiro a se pronunciar em apoio ao novo governo, liberando um emprestimo de cem milhões de dólares e setenta mil toneladas de medicamentos e alimentos, a título de "ajuda humanitária". Um jornal Chileno, La Tercera, acusou o embaixador der ser o "quinto membro da junta".
    Allender cometeu alguns erros que nós revolucionários entendemos como primários. Iniciou a nacionalização de empresas Americanas sem antes armar os trabalhadores. Quando a contra-revolução chegou, o proletariado não teve como se defender, muito menos seu governo popular. O banho de sangue teve endereço certo. Essas lições que a História nos mostra, indicam o caminho do novo, o método e a tática a serem usada como norte pelo proletariado, para a construção da Nova Democracia.
11 Stembro 2011
Torres Gemeas NY
    Por certo a juventude de maneira geral, estudantes e trabalhadores tem em sua memória um outro 11 de Setembro, o de NY. Elaborado cuidadosamente para Tergiversar a História, para tentar apagar uma centelha que insiste em se manter acesa, Salvador Allender. A imprensa golpista é o mecanismo de massificação dessa idéia, mas ela não pode mudar ou apagar o que está escrito em nossa memória. O fantasma do passado os assombrarão onde quer que estejam. Tergiversar a História não apagará de suas mãos, as manchas seladas com o sangue dos libertadores.
     Por esse motivo, nós comunistas revolucionários insistimos em beber no copo da historia, os símbolos da lembrança e da liberdade. Enquanto os tergiversadores, bebem o escroto do seu agonizante fim.







quarta-feira, 7 de setembro de 2011

UM PRANTO DE DOR

Das Cercas da Vida, às Cercas da Alma.

MALDITA SEJAM TODAS AS CERCAS


Malditas sejam todas as cercas!

Malditas todas as propriedades privadas que

Nos privam de viver e de amar!

Malditas sejam todas as leis, amanhadas por

Umas poucas mãos, para ampararem cercas e

Bois, e fazerem da terra escrava e escravos os

Homens!



(D. Pedro Casaldáliga)

quarta-feira, 13 de julho de 2011

A ROSA SEM PERFUME


A realidade objeitva do Governo Burguês.
A HISTÓRIA NÃO ABSOLVERÁ
   Eu caminhava pelas ruas de Porto Velho, quando me chamou a atenção, um jardineiro que podava um jardim repleto de flores. Enquanto olhava as pétalas caídas, um filme da Dialética Histórica me passou pela cabeça. Vi a transição da ditadura militar, caída em favor da Democracia Burguesa. Olhei bem para o primeiro representante dessa burguesia, o corrupto José Sarney. Passei por Fernando Collor, Itamar Franco, vi o sociólogo Neo-liberal Fernando Henrique, que desmontou o Estado Brasileiro em favor do capital internacional. Olhei a falsa esperança que viveu o proletariado quando da Ascensão do Lula a presidência da República.
    O capitulo do filme que chamou mais a minha atenção, foi o momento em que cheguei na Eleição de Dilma Rouseff. A Ex-guerrilheira comunista, repleta de ideais libertários e de sonhos humanistas, hoje, assentada na cadeira presidencial gerenciando os frutos do suor do proletariado Brasileiro em favor da burguesia obscurantista que ela mesma combateu. Irônico.
    O jardineiro, um homem aparentando uns quarenta anos, viveu todo esse processo de transição e deve ter alimentado muitas esperanças na melhora na sua qualidade de vida. Acredito que ele ainda hoje trabalhe para comer e quem sabe pagar um aluguel. Ou seja, uma vida passada com falsas esperanças de melhora. Como ele, quinze milhões de famílias não possuem casa para morar. Seis milhões de jovens precisam de universidade pública todos os anos. Os sucessivos governos da burguesia só oferecem até hoje, pouco mais de quatrocentas mil vagas. No universo de cento e cinquenta milhões de cidadãos acima de dezesseis anos aptos para o trabalho, apenas quarenta milhões possuem trabalho fixo. Noventa e nove por cento dos agricultores no pais, possuem apenas um por cento das terras. Enquanto um por cento dos latifundiários possuem noventa e nove por cento das terras férteis. O BNDS financia o capital internacional e nega recursos a nossa industria, e aos pequenos empreendedores. O IDEB alcançou uma vergonhosa média de 3,6 (6,0 é á média dos países desenvolvidos)
De revolucionária a conciliadora
de classes.
    Enquanto o governo da ex-revolucionária Dilma, coloca a culpa na falta de capacitação do proletariado, pelo seu estado de miséria e semi-escravidão, o jardim da agiotagem bancária brota com fartura, verdes folhas de papel moeda. O IDH do Brasil, continua a mais de trinta anos atrás do Chile, Argentina e Cuba. A dívida pública impagável já ultrapassa um trilhão. A dívida externa está próxima de trezentos bilhões de dólares. Resta ao grupo que gerência os interesses da burguesia, no governo Rousseff, administrar as poucas sobras dos recursos que caem da farta mesa da burguesia Brasileira.
      Quando o filme terminou, voltei a olhar para o jardim e vi uma rosa rubra, esmorecida, caída no chão. Pensei ver Dilma, podada pela história por ter perdido o seu perfume.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

INCÊNDIO NO RIO


Do espontâneo
ao consciente
BOMBEIROS EM CHAMAS
   A luta econômica por melhores salários é justa. Ninguém pode negar o fato de que ela é fundamental para a melhoria de vida do trabalhador. Alguns setores da própria burguesia a incentiva, pois ela é motivadora, traz discussões e gera capital politico para os mais antenados. Além de dar uma aparência de democracia. No entanto, é uma faca de dois gumes. Enquanto luta econômica, ela tergiversa a natureza real do problema, ela tira do foco o centro do caos, e conduz a orbitação em seu entorno. Ora, Karl Marx descobriu que a única forma de controlar o caos, é entrando no seu eixo e sufocando-o, reprimindo-o, até que ele seja controlado. O caos sistêmico é de natureza politica, consolidada na divisão econômica da sociedade em classes, baseada na exploração humana.
    O que pudemos observar na luta dos bombeiros do Rio de Janeiro, é que existe um campo muito fértil para ação em todas as categorias do proletariado. O impulso das massas se revela, sempre que o arroxo econômico se faz presente, em antagonismo com a opulência financeira da burguesia. As diferenças econômicas produzidas pela acumulação de riqueza de um lado e pobreza em outro, leva  a classe dominante a evitar embates políticos e manter a discussão no plano econômico, longe do centro nervoso do caos, que é a natureza politica. No entanto, ela não consegue controlar todas as ações, e muitas vezes resulta em fuga de direção, levando a revelação de sua natureza. No momento em que a policia age com violência, enquanto força de opressão, dá à repressão, um caráter político, fascista moderado.
    Um fato curioso é que a massa em ebulição, no caso os bombeiros do Rio, recusaram suas lideranças tradicionais nas negociações. Cansados de peleguismo, negociações brancas e sindicalescas, optaram por lideres nascidos no caos da luta, e não abriram mão dessa prerrogativa. Pudemos contemplar um fato cientifico: O nascimento do elemento consciente brotado do espontaneísmo da massa em luta. Considerando esse fato, nos reportamos a Lenine, quando afirma que: "O sindicalismo é justamente a escravidão ideológica dos operários pela burguesia". A luta sindical da categoria em nenhum momento levou a massa a luta politica, engessando-a na mediocridade da luta econômica. Esse fato novo obrigou o Governador Sérgio Cabral a fugir a regra e negociar diretamente com os "insubordinados", ou "Vândalos", como ele mesmo se referiu, mas que voltou atrás em sua infeliz declaração. Que isso sirva de exemplo para as demais categorias.
Sérgio Cabral: "São Vândalos"
    Alguns moralistas acusaram os trabalhadores bombeiros de imorais, por terem invadido o batalhão. Mas, "em uma sociedade fundamentada sobre a exploração, a moral suprema é a moral da revolução socialista".      
       Estamos a caminho!

quinta-feira, 30 de junho de 2011

O CODIGO DA DESONRRA


Aldo Rabelo do PCdoB
Relator do Código da
Desonrra
O QUE DESEJA A ESQUERDA

   Eu andava por Copacabana certa tarde, quando me aproximei de duas moças que discutiam filosofia. Me chamou atenção quando uma delas se expressou da seguinte maneira: Eu não sou comunista! Eu não quero e nem pretendo a revolução. Eu quero Evolução! Apesar da ingenuidade do pensamento, a expressão me levou a algumas considerações.
   A evolução é fator preponderante para a sobrevivência da humanidade. O problema é definir o que é a evolução, os seus efeitos desde o ponto de partida, e a partir de onde ela se origina. Para isso não custa nada lembrar o que diz o livro da mitologia Judaico Cristã, a Bíblia, quando da indicação Mateus 7:16, "Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Expressão interessante. A Uva é doce  delicada; o Espinheiro é rude,  indigesto. Assim é a dialética histórica. Vamos imaginar que as Uvas seriam na dialética histórica, o Socialismo. Os Espinheiros, o Capitalismo. Os homens que compõem esse processo dialético, podem optar por revolucionar destruindo os Espinheiros (capitalismo) e plantando Uvas,(socialismo) e a partir dai, promover a evolução do processo com enxertos e mudanças para que em sua evolução as uvas fiquem cada vez mais doce e agradável. Pode também, optar pela evolução a partir do espinheiro, (capitalismo) e não terão nada mais que espinhos. Maiores, menores, pontudos ou não, mas ainda serão espinhos.
   Após tantos anos de luta, a esquerda ainda não aprendeu que o processo de evolução na atualidade, é a partir do espinheiro. E ela, a esquerda, participa desse processo ingenuamente, produzindo espinhos, direta ou indiretamente, e de toda espécie. Ao aceitar a luta nos moldes do atual sistema, ela aceita tudo o que o evolucionismo, a partir do espinheiro propõe, inclusive o novo código florestal. Ela está inserida dentro dele, e nada poderá fazer para evita-lo. A justiça, o congresso, e o executivo , pertencem a burguesia (são frutos do processo da evolução sistêmica do espinheiro) e eles podem fazer o que desejarem. O espinhal sistêmico  pertence a eles e existe para eles.
   Para construir um novo código florestal honrado, digno da beleza e candura de uma videira, (socialismo) é preciso queimar um pouco mais de árvores, - dessa vez seriam os espinheiros- e colocar um fim ao sistema(capitalismo). E como se promove esse fim? Primeiro precisamos entender o seu começo e o que o sustenta. O poder de fato não está nos cargos eletivos do processo burguês, ele é apenas um mecanismo de gerenciamento  O poder está nas armas que a burguesia possui e que a sustenta. Foram as armas que regaram os espinheiros com o sangue derramado do proletário. Não será com criticas que se destruirá o espinheiro e se constituirá uma videira. Nos esquecemos da lição do imortal líder chinês Mao Tsé Tung? "A arma da critica não suplanta a crítica das armas". Foi dessa forma, pelo poder das armas que a burguesia instituiu e mantém o poder, e só através das armas ela o perderá.
Não se colhe Uvas de Espinheiros
   Em vez da esquerda ficar de blá blá blá até ser silenciada com a aprovação do novo projeto, com irrelevantes mudanças, deveria fazer uma auto-critica e partir para a ação. A evolução partindo da miséria e destruição dos recursos naturais, que o espinheiro promove, só nos levará a mais miséria e destruição. 
   Os iluministas e humanistas já não se contentam mais com a ira e a indignação dos discursos inflamados, e exigem da esquerda uma revolta.

sábado, 25 de junho de 2011

A ERVA DO CAPIROTO

videoQUEM É O BENEFICIADO

   Cannabis Sativa, carinhosamente chamada de Marijuana, Maconha, D2, Erva do Capiroto..., pode ser inalada, usada como Baseado, Cachimbo ou Narguilé além de outras engenhocas. O fato é que bilhões de quilos dessa erva é cultivada e colhida anualmente no mundo.
    Não quero ser hipócrita fazendo uma crítica descabida ao uso milenar desse alucinógeno, como fazem a sociedade pequeno burguesa. Também não posso me da ao luxo de apologizar seu uso, até porque não são os danos físicos que ela supostamente traz, pois dentre as onze drogas prejudiciais usadas no mundo, a maconha está em 11ª colocação, em danos a saúde.
     Faço apenas uma consideração, trazendo a luz uma pergunta do grande Lenine: A Quem Beneficia? Ao jovem usuário ou ao adulto que faz uso da erva por rebeldia, por ser proibida, por fuga, ou por prazer? Enfim, parece que o único beneficiado é o sistema capitalista. O sistema que exclui o próprio consumidor, seja por repressão ou por discriminação.
    O sistema se alimenta anualmente de quinhentos bilhões de dólares em todo o mundo, que vão parar em campanhas políticas, empresas privadas e bolsas de valores. Além de desorientar o norte revolucionário da juventude, vendendo uma imagem de liberdade em detrimento da formação ideológica; afastando-os da luta política, escondendo à sociedade de seus reais problemas, que é a exploração humana pelo sistema vigente. Para afastar os jovens da luta ideológica, o sistema conta com a contribuição da imprensa paga.
    Acredito que a transformação da sociedade não vai chegar com a liberação da maconha, e depois, da cocaína. A realidade objetiva dos usuários tende a piorar com o uso, além dos problemas econômicos que já são um transtorno.
     Em vez da luta pela liberação, talvez o caminho fosse o da construção de uma consciência revolucionária mais apurada, que foi perdida com o tempo. Que pudesse levar a criação de instrumentos Sociopolíticos transformadores, que levassem a mudança dessa medíocre realidade cotidiana em que vive a juventude. Educação de baixa qualidade, falta de universidades, falta de saúde, moradia e trabalho. Falta de dignidade humana.
   A Maconha e as outras drogas, são apenas um instrumento de opressão disfarçados de bandeiras libertárias, consentidos pelo estado burguês. Sua liberação não depende de questões de saúde pública ou preocupação com a vida humana, ela atende unicamente ao principio econômico de quem vai ter lucro.
     Por certo, liberada ou não, não será o proletário o beneficiado.





sábado, 18 de junho de 2011

A FÉ DA PURPURINA


A cartilha que abalou a Igreja
A IGREJA E A CARTILHA
   Quando eu era criança, as cartilhas tinham uma grande influência para mim. Eu particularmente ficava vidrado com aquelas que eu podia colorir, e as vezes até pintar com tinta guache. Esse modelo didático, simples e objetivo, deve de fato estar sempre presente na vida do educando.
   Claro que há algumas cartilhas que provocam algum rebuliço, nesse caso, a cartilha GAY, ou O CADERNO DAS COISAS IMPORTANTES. A cartilha deveria ser distribuída junto com um DVD contra a homofobia, nas escolas; mas não foi. O fundamentalismo cristão não permitiu.
   Fico imaginando porque alguns grupos da sociedade se fazem senhores do pensamento e da idéia. Eles chegam até mesmo a acreditar que possuem aval divino para vetar e regular o pensamento. E por outro lado se arrogam senhores da liberdade de expressão, quando a liberdade atende aos seus interesses, lógico.
   Eu li o "caderno das coisas importantes", ele em si não apresenta nenhuma ofensa à sociedade. É verdade que não havia necessidade de um filhinho mostrando o inicio de uma relação homossexual, até porque os jovens de hoje já sabem perfeitamente como isso se inicia, talvez tenha sido um pouco de exagero. Ele deveria se deter aos princípios de liberdade de conduta, na escolha da opção sexual ou na orientação sexual como prefere alguns, e até mesmo na identidade de gênero como prefere outros. Lenine afirmava que o homo-sexualismo é um desvio ideológico da pequena burguesia. Bom, opiniões à parte, o processo educativo deveria apenas seguir a orientação, de que o diferente é normal.
   A polêmica gerada foi tão grande que fiquei espantado com a reação. Houve até uma marcha bem parecida com a Marcha da Família com Deus pela Liberdade. Prefiro nem relembrar o que isso significou nas vésperas do golpe de 64. - Deus que nos livre de outra! - No passado os comunistas eram o motivo que a burguesia precisava para "lutar pela liberdade e democracia", agora são os homo-sexuais, e coincidências a parte, figuras da ditadura também estavam presentes na manifestação.
    A grande bandeira da democracia burguesa contra a democracia popular, sempre foi a alegada liberdade de conduta. Agora essa liberdade está sendo posta em cheque. Isso acontece, sempre que a fase superior da democracia burguesa se estabelece enquanto seu Status Quo. Ela avança, se estrutura, se supera, passando de democracia para fascismo reacionário.
A Igreja em conflito. 
Liberdade e doutrina
    A promiscua relação entre a Igreja e o governo, se faz presente em um estado nada laico, no estabelecimento de conceitos superados, como a "família instituída por Deus". Ora, esse modelo de família já está sendo abolido pela sociedade. Hoje temos famílias com apenas um pai, com apenas uma mãe e famílias homo afetivas, e modelos em que nem mesmo conhecemos.
   Se houve um equivoco na idéia da cartilha, foi na faixa etária sugerida para a distribuição, o que eu também concordo; era só reavaliar e subir para a faixa etária em os jovens que já estão iniciando sua vida sexual,  que é um média dos doze anos em diante. No mais, acredito que a cartilha até que foi uma boa ideia didática.
      Em nossa avaliação, só faltou um pouco de purpurina para dar mais brilho celeste a ideia.





sexta-feira, 27 de maio de 2011

A LUTA DE CLASSES


Prefossôra Amanda Gurgel
POR QUEM OS SINOS TOCAM

   Quando a Revolução Russa de 1917 saiu vitoriosa, lançou-se um grande desafio nacional, a educação da massa, e em massa. A Revolução Cubana seguiu os mesmos passos, e como fruto deste processo, goza hoje de um elevado IDH (índice de desenvolvimento humano). 0,863 (2007). Superando até mesmo ao do Brasil, 0,699 (2010).
   Refiro-me a esses exemplos não por paixão, mas porque são fatos Científicos e Históricos irrefutáveis; resultado prático da dialética materialista e histórica.
     Todo e qualquer país desenvolvido socialmente, teve como ponta de lança, a Educação! Mas quando me refiro a educação, não estou falando apenas nos livros didáticos, na merenda aos estudantes, na estrutura do espaço físico... Falo principalmente no cuidado e zelo pelo corpo Docente. Esses abnegados profissionais que são relegados a meros transmissores de conhecimento.
    Nos últimos dias, o País viveu grande comoção Nacional com um pequeno discurso da professora Amanda Gurgel, quando de uma audiência pública sobre a situação da Educação no Rio Grande do Norte. Foi de fato um discurso franco e aberto, revelando a ausência de malícia política, e a abundância de indignação proletária. Ela é incisiva quando se refere ao fato apresentado, diga-se o seu salário de R$ 930,00, como sendo o único fato com propriedade, e sendo os demais apresentados pelos representantes da Burguesia, como sendo apenas para mascarar a realidade objetiva em que vive a categoria. De fato, a burguesia tem necessidade constante de mascarar a verdade para evitar que o proletário descubra que está na exploração da sua força de trabalho, o sustentáculo do Status quo da classe dominante. Ao contrário do proletário, que insiste em revelar a verdade para desmascarar a burguesia. Nisso consiste o antagonismo de classe.
    A professora acusou veementemente a Secretária de Educação Betânia Ramalho, de banalizar e encarar como fatalidade a deprimente conjuntura educacional em que vive o estado. Parece que a Secretária foi infeliz ao acusar a categoria de imediatista, como se a situação não fosse uma ferida crônica de sucessivos governos da burguesia, inclusivo do dela. A professora pontuou bem suas necessidades imediatas, comer, morar, transportar... Isso de fato não pode esperar! O Proletário está com a paciência esgotada, e demonstra isso com sua indignação. O que está ainda distante da Revolta.
     Bom, já passada de certa forma a comoção nacional, podemos fazer algumas considerações aos olhos de certa distância, que acabam por ser mais isenta, sem imediatismos para não sermos acusados também pela Secretária de Educação Betânia Ramalho.
    O desabafo da Professora, acabou por culminar em um impulso espontâneo de massa, movido por uma situação objetiva pontual, de sua categoria. Quanto maior for esse impulso, maior será a necessidade de organização de um projeto de elevação de consciência politica. O problema, é que não há organização revolucionária hoje no Brasil, a altura de capitalizar esse impulso, que nasce, que brota espontaneamente da indignação de um trabalhador aqui e outro ali. Por esse motivo, ele será apenas objeto de especulação midiática e oportunismo político.
    A professora citou um dado. 90% da categoria esta apoiando a paralisação. Isso é fantástico! Mas infelizmente por traz dessa organização está um Sindicato. SINTE, ligado a CUT, uma central sindical pelega e governista, que tem como plataforma ideológica, o economicismo. Tem ainda como presidente a governista Fátima Cardoso, filiada ao PT, partido de cunho revisionista. Ou seja, a linha de pensamento que dirige os professores do RN, é ao estilo Bernstein e Kautsky, no estreito quadro da luta cotidiana, na obscura ausência de uma luta de fato, política. Por esse motivo podemos até prever o desfecho dessa rinha: A provável deslegação do cuscuz dos alunos em beneficio dos professores, e um provável copo de leite para não ser deglutido à seco. Os três dígitos do salário poderão passar para quatro, só que no máximo serão arredondados com zeros. de R$ 930,00 para R$ 1.000,00.
    Essas pequenas concessões econômicas são facilmente concedidas pela burguesia, não custa muito e agrada a todos. O que eles não permitem, são concessões políticas! A, essas que mudariam de fato o medíocre quadro da atual conjuntura nacional. Foi isso que fez a Rússia em 1917, e Cuba em 1969. É isso que a Burguesia teme. Por esse motivo ela só aceita negociar com o sindicato, pois eles são em sua maioria, o símbolo da escravidão ideológica do proletariado pela burguesia.
A indignação transformada em
Revolta!
    Quando a onda da comoção nacional se transformar em quimera, os surfistas da imprensa paga, os politiqueiros, se sentarão na praia a olhar onde se formará a próxima onda de indignação. Entre os Médicos, os Garis, os Metalúrgicos, os Enfermeiros... Até lá, tudo irá bem no reino D'abadia. Nós proletários, voltaremos a produzir o molho que rega a ceia dos abençoados, dos divinos, enquanto guardamos "nossa culpa" pela nossa própria miserabilidade.
   Poderemos transformar nossa indignação em revolta, quando aprendermos a olhar o mundo de frente, em seu desenvolvimento real, de forma dialética. Até lá, aconselho a molhar o cuscuz para não engasgar.


sexta-feira, 20 de maio de 2011

A NECESSIDADE DE RENOVAÇÃO DA POSTURA BURGUESA


Xuxa e Silvia da Suécia Principais protagonistas
da "leida Palmada"
O ENIGMA DA ESFINGE

   Mais uma agitação da burguesia! Eles necessitam de popularidade. O circo agora está montado em torno do Projeto de Lei 7672/10, de autoria da SNDH, modificando o atual ECA. Vejamos a proposta: Os responsáveis que se valerem da força física que resulte em dor ou lesão ao menor ou ainda humilhem, ameacem ou ridicularizem os filhos poderão ser enquadrados em dez tipos de medidas. Entre elas, o encaminhamento a um psicólogo, uma advertência e até a perda da guarda. Além de acompanhamento psicológico e educacional da criança. Esse tema só mereceu nossa consideração, porque o Estado Brasileiro em sua natureza reacionária e expolidora, não permite tal façanha, de estar preocupado com crianças e jovens. Uma análise mais detalhada vai desvendar o enigma desta Esfinge.
    A dita violência contra o menor, não é o mal em si, mas um produto de um mal maior. A divisão igualitária da riqueza. Este mal, foge do leque de interesses dos protagonistas do grande circo.
   Uma delas no picadeiro, a deputada Manuela Dávila (PC do B- RS), teve a ousadia de afirmar que: "Famílias se estruturam na sociedade em torno da violência física”.“Ainda existem milhares de famílias que defendem a violência dentro de casa e estranham a violência nas ruas”. Na medíocre visão da deputada, o Estado deve coibir a violência e estimular a paz nas estruturas familiares. Ora cara pálida, como um estado violento e reacionário vai ter moral para coibir algum tipo de violência? Não nos basta os noticiários policiais para mostrar como o estado age através de seu braço armado? Sequestros, assassinatos coletivos, invasão de domicílios, roubos, extorções, estupros, humilhação... Prossigamos...
    O Filosofo Frances Foucault, descobriu que a família é um Micro Estado que orbita o Estado Maior burguês. Entendendo este principio, concluímos que se há violência na família, é senão fruto e reflexo da violência do grande estado que, como educador e chefe, estabelece as normas a serem seguidas.
    Uma outra protagonista, a apresentadora de TV, Maria da Graça, conhecida no mundo artístico como Xuxa, afirmou que: "A criança que é agredida pelos pais hoje, amanhã baterá também em seus filhos". Ela também foi infeliz ao esquecer de avaliar essa relação Estado x Família. Por acaso as consequências são menores quando o estado agride os pais na frente da criança?
    O senador José Sarney também deu o seu pitaco," Lamentando o aumento de violência contra crianças e adolescentes praticada pelos próprios familiares". Destacou o papel da escola nessa luta. Daria até para chorar se não fosse conhecido o passado deste senador fascista. Da violência que ele praticou no Maranhão contra os pais, diante dos olhos de milhares de crianças. mortes, roubo de terras, mutilações..., sem contar as escolas que ele deixou de construir. O maranhão é um dos Estados com maior índice de analfabetismo do Brasil. É de uma hipocrisia velada.
    A distinta Rainha da Suécia, sua majestade Sílvia Renate Sommerlath, e filha do nazista Walther Sommerlath (só se vê figuras preciosas defendendo esse projeto), também está na empreitada pela segurança e educação das crianças Brasileiras. Mas o reacionário deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que parece não ter sido convidado para dividir o bolo que está para ser cortado, foi feliz em sua crítica à visitante: “Não há interesse de um país de Primeiro Mundo para que haja educação no nosso país”. -Esse cara sabe o que diz - E disse bem. Não da para entender como uma soberana se diz preocupada com as crianças de uma nação, enquanto seu país constrói e vende armas mortais para dilacerar centenas de milhares de crianças no Iraque, Palestinas, e Afeganistão, onde até as tropas da monarca estão diretamente envolvidas na chacina e espoliação das riquezas daquele país, e no resultado direto da miséria infantil. Sem falar nas intervenções no Kosovo, Bósnia e Herzegovina.
    A Ministra Maria do Rosário, enfatizou que: “Nós, pais e mães, precisamos parar nossos afazeres diários para olhar nossos filhos nos olhos e dizer não.” Em que mundo a ministra se encontra? Ou em que pais? Como um proletário vai parar de trabalhar para olhar um filho? E vai comer o que? Como vai pagar as contas? A ministra por acaso teria a formula da equação? Se tem, esqueceu de revelar. Quem sabe a utilização do dinheiro público para a construção de creches de qualidade para as crianças e espaços voltado para os jovens, isso contribuiria para que os pais pudessem compensar melhor a ausência diária dos filhos, imposto pelo sistema. Mas esqueceram de colocar esse detalhe no projeto. Óbvio.
    Enfim, chegamos a descoberta do enigma da esfinge. , Dinheiro e Notoriedade! Milhões, ou até quem sabe bilhões serão captados por instituições internacionais, governo e empresários para as ONG'S que os protagonistas representam. Os resultados? só serão vistos em relatórios que serão maquiados e devidamente autenticados por quem de direito. A imprensa macabra dará a sua contribuição apresentando ao público os supostos resultados - claro que só participará do circo por um bom preço - .
     A chamada violência familiar, que levam jovens e crianças para as ruas, parece ser na verdade fruto das condições da miserabilidade sócio, econômico e emocional que são impostas às famílias. A realidade objetiva que o sistema lhes impõe, fruto da luta de classes, da divisão desigual da riqueza produzida. Além, claro, dos distúrbios individuais produzidos pela falta de perspectiva. Curioso notar que não se vê os filhos da burguesia nas ruas. Por acaso os pais ricos não batem nos filhos? Sim, batem. Mas a distancia entre a porta da casa e a rua, é de apenas um passo para os pobres.
    O tal projeto, nasce fracassado no picadeiro pantanoso da arrogância burguesa, tal como “Idéias sem palavras, palavras sem sentido”.                                                               Aplausos!

terça-feira, 17 de maio de 2011

A SAGA PROLETÁRIA EM RÔNDONIA



Os trabalhadores são sempre iludidos
por promessas nunca cumpridas.
O PREÇO DA EXPLORAÇÃO
  Na minha segunda viagem a Bolívia, me deparei no ônibus com um senhor do lado esquerdo que conversava com meu visinho de poltrona. A princípio uma convesa fútil, nada que chamasse atenção.  
  Eu aproveitei para ver a paisagem e contemplar os rios da bacia amazônica por onde passava-mos. Uma ponte de ferro estreita onde só passa um veículo, feita de ferro, bem construída. O gado no pasto em fazendas enormes. Casas e céu limpo. Uma paisagem encantadora com vívida tranformação humana, para uma terra em que no passado só contava com arvores, mata.
  De súbito, o senhor me chamou a atenção ao entrar em um assunto interessante. Ele começou a falar do passado glorioso dos seringais da região. Isso me despertou os ouvidos. Fiquei curioso e passei a espreitar a conversa que se tornou interessante. Ele falava dos primeiros seringueiros que movidos pelas promesas patronais de fortuna e estrutura, eram motivados a trabalhar incessantemente. Os patrões eram estrangeiros.
  A conversa fluiu de forma interessante, e eu me permiti viajar em imaginação voltando a época em que eu não estava lá. Formigueiros de homens esperançosos e chegando de todos os cantos, alegres para o trabalho. Patrões motivadores e sorridentes, educados, com seus charutos ou cigarros importados, com sapatos de qualidade, roupas confortáveis, aviões ou carros como meio de transporte. Sempre felizes pela oportunidade de ter mão de obra farta e barata.
   Depois de um prodigioso relato, o homem mudou a entonação da voz e fez uma triste conclusão de seu quase épico relato. "Todos os seringueiros que foram pioneiros, todos acabaram cegos pela fumaça". Fiquei chocado! Claro que eu não teria a torpe ilusão de que as promessas dos patrões seriam verdadeiras, e que os seringueiros ficariam ricos. Fiqui chocado com o final trágico. Trágico até demais. O que fiquei a imaginar é que nenhum patrão, provavelmente teve esse mesmo fim. Aliás, os seus netos devem desfrutar até hoje da riqueza gerada pelos seringueiros cegos. Por outro lado, os netos dos seringueiros devem ter ficado apenas com a estória de seus avós, como herança.

 O proletário é descartado quando sua
força de trabalho se esgota
 Ao saber desse desfecho trágico, imaginei os lamentos de dor e angustia desses trabalhadores. Suas decepções, seu abandono.... Voltei a realidade e passei a olhar com mais carinho as fazendas, as casas, o gado no pasto, a ponte de ferro feita para o progresso da região, e sem parafusos, só com rebites, como fez questão de frisar o senhor todo orgulhoso do meu lado, "e feito por estrangeiros em". Olhei com mais atenção os caminhões de carga que transportavam a riqueza da região, e fiz um momento de silêncio em meu coração, em memoria de todos os pioneiros que motivaram o progresso da região de Rôndonia por onde passo agora, e de onde desfruto de um relativo conforto, fruto daquele glorioso esforço humano. O fiz em memória de todos os proletários anônimos e esquecidos, e que ficaram cegos!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

O MEDO DO TERROR PELO TERROR DO MEDO


Ossama Bin Laden,  falecido
provavelmente de morte 
natural em 16 de
dezembro de 2001.
A MORTE DE BIN LADEN

  A dialética histórica nos mostra, que a história é escrita da forma a atender aos interesses das classes dominantes. Ela é ratificada por historiadores medíocres, e profissionais da comunicação, bem como suas empresas, voltadas para o lucro. Dai, as sucessivas e repetitivas reportagens, livros e revistas editados, a fim de massificar uma informação que venha a atender aos interesses de classe ou oligarquias.
  Um exemplo claro de um fato histórico construído com interesses de classe, foi o onze de setembro nos EUA, com a implosão do World Trade Center. O governo Americano se apressou a acusar Ossama Bin Laden, "justificando assim a guerra contra terror", invadindo o Iraque e o Afeganistão. No entanto, os motivos reais parecem que foram o petróleo Iraquiano e o Gás Afegão. Além do cerco politico e militar à Rússia.
  Convém considerar em uma análise mais profunda, que qualquer "terrorista" se orgulharia de ter praticado um ato tão grandioso dessa envergadura. No entanto, estranhamente, Bin Laden declarou a Tv Al Jazeera no dia dezessete: “O governo dos EUA me culpa continuamente por cada um dos ataques. Eu gostaria de assegurar ao mundo, eu não planejei estes ataques, que parecem ter sido planejados por outras pessoas por motivos pessoais. Eu vivo no emirado islâmico Afeganistão e sigo as regras de seus governantes. Os governantes atuais não me permitem executar tal operação”. (CNN)
  Curioso é notar como a farça se desmonta. Segundo relatos, Ossama estava impossibilitado de coordenar essa operação por complicações renais. No dia dez de setembro, Bin Laden estava em um hospital militar em Rawalpindi Pakistan (Paquistão), para se submeter a uma diálise, onde permaneceu por uma semana, escoltado por soldados paquistaneses, que são aliados dos EUA. (CBS). Segundo o periódico Karachi news, o General Mahmood Ahmed sabia da estadia do "terrorista", e esteve nos EUA em conferência com o Vice-Secretário de Estado Marc Grossman. Porque não o prenderam? A análise é simples. Se o tivessem feito, a realidade objetiva da prisão impossibilitaria a invasão do Afeganistão por falta de um motivo lógico.
  Tudo isso até poderia se explicar até os dias de hoje, se não fosse pela estranha manutenção da idéia de um homem que aterroriza as potências mundiais, mas que já estaria morto desde 2001. Em seu último ano de vida, passou pelo hospital Norte-americano de Dubai, em caráter de emergência no dia 4 de julho (guardian). Há relatos que durante sua permanência, ele recebera a visita do chefe da CIA local. Bin Laden foi agente da CIA no Afeganistão durante a invasão da URSS. Se chamava "Tim Osman".
  “al-Wafs, quarta-feira, 26 de dezembro de 2001, Vol 15 Nº 4633, notícia sobre a morte de Bin Laden e enterro há 10 dias. Islamabad-Paquistão. Um importante oficial do movimento afegão Talibã anunciou ontem a morte de Osama Bin Laden, o líder da organização Al-Qaeda. Ele disse, Bin Laden sofre graves complicações no pulmão e faleceu serenamente de morte natural. O oficial, que exigiu o anonimato, disse ao jornal ´The Observer of Pakistan`, que ele próprio estava presente ao enterro e ele tinha olhado sua face antes do enterro em Tora Borá, há 10 dias. Ele disse que 30 companheiros de sua Al-Qaeda estavam no enterro, assim como membros de sua família e alguns amigos do Talibã. Na cerimônia de encerramento para o descanso final, foi realizada uma salva de tiros. O oficial ainda disse que seria difícil achar o local exato da cova, pois de acordo com a tradição wahhabista nenhuma marcação indica o local. Ele salienta, seria improvável que os militares americanos encontrassem um dia apenas uma única pista de Bin Laden.
  Não é de se estranhar que a CIA anunciou a 3 de julho de 2006, que dispensou o departamento que se ocupava com Bin Laden. A missão da unidade denominada “Alec Station” foi encerrada no último ano e os agentes incumbidos com novas missões na luta contra o terror. (New York Times). As declarações do mais reacionário e cruel serviço secreto do mundo, o Mossad (israel): “Bin Laden morreu provavelmente na ocasião dos ataques dos norte-americanos em dezembro de 2001. O aparecimento de novas notícias e fotos são provavelmente uma fabricação”. A 2 de outubro de 2008, o antigo diretor da CIA, Robert Baer declarou a uma rádio: “Mas é claro que Bin Laden está morto!”.
   Por essas e outras, concluímos que a "manutenção da vida" de Ossama, é responsável pelo sucesso eleitoral de presidentes Americanos, e ainda, dos gordos lucros dos fabricantes de armas e materiais para o exército. O governo dos EUA parece ter mantido Bin Ladem "vivo", apenas para manter o medo e o terror nas pessoas, e cessar suas liberdades com medidas fascistas.
Ayman al Zawahiri, provavel novo
líder da Al Qaeda.


   Seria bom também ressaltar que qualquer presidente desejaria desfrutar deste troféu (a morte de Bin Laden), apresentando ao mundo as fotos e o corpo do "terrorista", para que não ficasse duvida alguma, como fez o Bush com os filhos de Saddam após serem assassinados. Se Obama abre mão desse momento histórico, é provável que tenha sido pelo motivo de, esta, ser mais uma farsa histórica.
     Tal como o capital, o projeto de guerra ao terror precisa se renovar, e Bin Ladem, provavelmente morto a uma década, finalmente descansa dentre a lista dos perseguidos, dando o lugar para o próximo Líder da Al Qaeda  Ayman al Zawahiri.

O OBSCURANTISMO NÃO ESCOLHE CLASSE

PAPA BOM OU RUIM É PAPA
Karol Józef Wojtyła
dirigente de reacionária
instituição capitalista.

   Se podemos afirmar que houve na história da humanidade um homem, que contribuiu para o retrocesso às liberdades, esse homem foi João Paulo ll.
   Amante da riqueza e luxuria que sua instituição religiosa, e capitalista lhe ofereceu. Uma igreja vendida e de olhos fechados para a opressão. O "Santo Padre" governou o mundo, com as mais reacionárias e promiscuas figuras contemporâneas, que a burguesia mundial pôde apresentar ao proletariado.
   Defensor ardente da exploração humana, João Paulo, foi a principal figura internacional, responsável pela vitória da contra-revolução burguesa Trotkista, na Ex U.R.S.S. Com o dinheiro da Igreja, ele financiou e fomentou a corrupção na primeira nação livre do mundo, e pregou abertamente o retorno a escravidão mediante a ditadura capitalista, e a sessão das liberdades democráticas que o projeto socialista ofereceu aos trabalhadores do mundo inteiro. Além de divulgar mentiras sobre fome, repressão e mortandade em massa nas nações socialistas. No entanto, o líder da Igreja Católica, esqueceu de rever a relação entre a Igreja e os pobres. Entre suas suntuosas vestes, seus tapetes persas, seus lustres de cristal, seu copo e sandálias de ouro, e as casas de papelão e madeira do proletariado excluído e escravizado em redor do mundo.
   Enquanto o então João Paulo, agora santo, torrava dinheiro dos fiéis alienados, investindo na espionagem da CIA (serviço secreto do governo Americano), e do MOSSAD (serviço secreto Israelense), milhões de crianças morriam na África pela AIDS e pela fome. Calou-se diante dos massacres Norte Americano na Ásia, e América, e ainda compactuou com ditadores sanguinário, em troca da manutenção e da inviolabilidade da Igreja. Perseguiu padres e líderes humanistas na América do Sul e Central, como o Frei Beto, Leonardo Bofe... defensores da teologia da libertação. Foi impiedoso contra aqueles que ousaram criticar a religião, a saber, o Escritor Saramago que foi pejorativamente chamado de joio.
   Defensor de um governo hegemônico mundial, pautado na divisão humana por classes, o Papa, foi o que nós humanistas repudiamos. Um reacionário!
Perseguiu os Socialistas enquanto
seus aliados cpitalistas matavam e
torturavam em crueis ditaduras
apoiadas pela Igreja
  Karol Józef Wojtyła apenas nos revelou com suas atitudes mesquinhas, o que Nietzsche (filosofo alemão) já afirmava: "Deus está morto: não existe qualquer instância superior, eterna. O Homem depende apenas de si mesmo".
    Hoje canonizado, se está ao lado de Deus e seu anjos, melhor ter levado um tapa ouvidos. Pois não vai dormir direito ouvindo os gritos, lamentos e gemidos dos que ele e sua Igreja aterrorizou enquanto em vida.             
     Ainda assim ele continuará sendo Papa.  Lamentável!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

A FRAUDE HISTORICA DO SÉCULO

A DEMOCRACIA DAS ARMAS
A fraude historica do século

    Não foi difícil prever, nas considerações anteriores que fiz, de que a Líbia sofreria uma intervenção militar por parte do Ocidente. Isso
porque o processo histórico das intervenções se repete de forma linear. Elas são sempre em defesa dos civis e da democracia. O curioso é que os mesmos veículos de comunicação televisivos e impressos, não noticiam o que não interessa as potências imperialistas ocidentais. É o caso dos crimes cometidos pelo estado de Israel contra os palestinos indefesos. O fuzilamento de quinze manifestantes no Iêmen (um protetorado dos EUA ) onde os jovens lutam contra a repressão violenta do governo de Ali Abdullah Saleh. A situação na Arábia saudita não é tão diferente, onde os EUA já enviaram agentes da Cia para tentar controlar a agitação.
     No Barhen, a situação é constrangedora. O califa decretou Lei marcial há um mês. Os médicos são proibidos de dar assistência aos feridos que conseguem sobreviver. Em Honduras em nosso continente, a repressão, e prisões arbitrarias são coisas do cotidiano, e a imprensa se “democrática” se omite em esclarecer. Obama declarou que no Barhen, “a situação é diferente”. Diferente? Acaso não seriam civis sendo mortos por uma cruel ditadura? Talvez seja porque aquele pequeno e rico Pais, concorde com os termos de entregar seu petróleo barato para o ocidente, coisa que a Líbia se recusou a fazer. No caso do Afeganistão e Iraque, onde a participação das tropas americanas é direta, a imprensa faz boquinha de siri.
     O representante do vaticano declarou a imprensa internacional que: “saibam que as ações militares estão causando vitimas entre os mesmos civis que se quer defender”. O cardeal afirmou que a Otan já matou mais de quarenta civis só na capital. O total de mortos já passa de mil. Esses predadores humanos se reuniram no ultimo dia 29 em Londres a fim de partilhar a líbia entre os “diversos investidores”. Só esqueceram de convidar os líbios para participar, eles que são os verdadeiros donos de seu pais.
     Os agentes que atuam na líbia numa tentativa de derrubar um governo legítimo, são figuras conhecidas do governo americano. O chefe militar, segundo a CNN, coronel Kalifa Haftar, viveu e foi treinado na Virginia EUA, por vinte anos. Desde 1988 ele participa de organizações mercenárias no mundo árabe LNA (Exercito nacional líbio) em prol dos EUA. Mahmud Jabril, PHD em planejamento externo na universidade de Pittsburg. Fatih Al Bahja, professor de ciência política também educado nos EUA. O líder da gang, Mustafá Abdel Jalil é um oportunista que desertou do governo por aspirações pessoais. O tal conselho já anunciou aos interessados sedentos de riqueza, que o futuro governo “está interessando em privatizar as companhias líbias no estrangeiro e na líbia, incluindo a petrolífera”. Isso ajuda, claro, aos mirrages franceses a continuarem a despejar toneladas de bombas sobre um pais pacifico que era tido como amigo do ocidente e fazia parte inclusive do conselho de direitos humanos da ONU.
    O governo americano se recusa a falar de todos os envolvidos por “questões morais”. O líder do LIFG (grupo Líbio de combate islâmico), Abdel Hakim, com ligações a Al Qaeda, ( A agencia de noticias à Reuters já confirmou a presença da rede terrorista no conflito Líbio), também faz parte do tal conselho, que não possui um único líder de pensamento e cultura árabe, todos formados pelo ocidente, curiosamente.
    A Rússia já advertiu que: “ajudar os rebeldes é ingerência em uma guerra civil”, e não foi “autorizado pela ONU”. A China e a Índia também já se posicionaram de igual pensamento. Um dos grandes perigos desse conflito é o uso de urânio empobrecido que esta sendo usado pela da OTAN. No Iraque o urânio causou grande número de mortos e cancerígenos.
     É sabido que o governo líbio tem tentado uma solução democrática para o conflito. Mas a intransigência do ocidente, que exige a saída incondicional, de kadafi, tem dificultado a resolução do conflito. O governo já reafirmou por diversas vezes, que as mudanças no sistema político, como eleições, e referendo no País não é problema. “A líbia é muito próxima do ocidente e familiarizada com sua cultura”. O que não é negociável segundo a autoridade líbia, é à saída de kadafi. Pois ele representa um equilíbrio entre as tribos da líbia. Com sua saída, a desorganização da nação seria inevitável. O mesmo fato aconteceu no Iraque com a morte de Saddam Russen, depois de oito anos, o pais ainda não encontrou a união nacional.
     O governo líbio também já se mostrou disposto a negociar com os “rebeldes”, e ouvir suas revindicações sob observadores da ONU. Apenas exigiu o cessar fogo e a deposição das armas, o que é legitimo. O problema é que nem os tais “rebeldes” e nem o ocidente, querem negociações. A conversa de democracia é coisa e tal é só uma cortina de fumaça. Eles desejam mesmo é trocar o governo legitimo por um governo amigo.
     O Ex-presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas e atual representante do governo líbio junto da ONU, Miguel D'Escoto, afirmou que: "a ONU se converteu não apenas numa organização desfuncional e incapaz de cumprir os objetivos para os quais foi criada, mas agora numa arma mortal nas mãos dos agressores imperialistas e seus sequazes". Kadafi enviou uma carta à Obama pedindo o cessar fogo ao contra o seu povo.
 “Temos sido feridos mais moralmente que fisicamente por causa do que nos tem sido feito, por vocês, em palavras e atos. Apesar de tudo isso, você sempre será nosso filho aconteça o que acontecer. Continuamos rezando para que você continue sendo presidente dos EUA. Nós nos empenhamos e torcemos para que você vença a nova campanha eleitoral. Você é um homem que tem coragem suficiente para anular uma ação errada e equivocada. Estou certo de que você é capaz de assumir a responsabilidade por isso. Não faltam provas, tendo em mente que você é o presidente da maior potência do mundo na atualidade, e já que a Otan está travando uma guerra injusta contra um pequeno povo de um país em desenvolvimento. Este país já havia sido submetido a embargo e sanções, além disso, também sofreu uma agressão militar direta durante o tempo de Reagan. Este país é a Líbia. Assim, para atender à paz no mundo... à amizade entre os nossos povos ... e por uma questão de economia e cooperação na segurança contra o terrorismo, você está em posição de manter a Otan longe da questão da Líbia para o bem de todos.
 Como você sabe muito bem, democracia e construção de uma sociedade civil não podem ser alcançadas por meio de mísseis e aviões de guerra, ou por meio do apoio de membros armados da Al Qaeda em Benghazi. Você - você mesmo - disse em muitas ocasiões, uma delas na Assembléia Geral da ONU, que eu testemunhei pessoalmente, que a América não é responsável pela segurança dos outros povos. Que a América pode ajudar. Esta é a lógica correta.
 Nosso filho querido, Excelência, Baraka Hussein Abu Oumama, sua intervenção em nome dos EUA é uma necessidade, para que a OTAN se retire, finalmente, da questão líbia. A Líbia deve ser deixada aos líbios no quadro da União Africana. Eis como se coloca agora o problema: 1 – Há uma intervenção militar e política da OTAN 2- o terror conduzido pelas gangs armadas da Al Qaeda em algumas cidades, que pela força, se recusam a permitir que o povo volte à sua vida normal, e exerça como sempre o poder popular. Muamar Kadafi – Trípoli, 5/4/2011
A arma da democracia, ou a democracia
das armas?
    Kadafi não se cansa de repetir que a Al-Qaida faz uma guerra e envia combatentes contra o governo da Líbia, porque ele apoiou a guerra antiterrorista de Bush. A Al-Qaida teve no passado excelentes relações com os serviços de inteligência Norte-Americano, na luta contra os Soviéticos no Afeganistão. Por estranha ironia, os EUA agora estão armando a organização que tanto persegue, a fim de derrubar Kadafi. Como se vai explicar isso? Quem é o aliado de quem? A democracia do terrorismo? Ou o terrorismo da democracia?
    Nas palavras do presidente Obama, podemos observar o motivo direto dessa guerra injusta contra o povo Líbio: “No entanto, haverá ocasiões em que nossa segurança não estará ameaçada diretamente, mas sim nossos interesses e valores. [...]
     É natural que os EUA e a Inglaterra, estejam cumprindo seu papel de nações imperialistas e fascistas. O que lamentamos, é que um País de tradição democrática como a França, berço de grandes filósofos, esteja na contra mão do curso, participando dessa fraude histórica.
     Por certo os homens maiores, de grandeza e humanismo, saberão estar do lado certo.