Escolhemos o caminho da luta ao da conciliação (vladimir llyitch uliánov lenin)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

INCÊNDIO NO RIO


Do espontâneo
ao consciente
BOMBEIROS EM CHAMAS
   A luta econômica por melhores salários é justa. Ninguém pode negar o fato de que ela é fundamental para a melhoria de vida do trabalhador. Alguns setores da própria burguesia a incentiva, pois ela é motivadora, traz discussões e gera capital politico para os mais antenados. Além de dar uma aparência de democracia. No entanto, é uma faca de dois gumes. Enquanto luta econômica, ela tergiversa a natureza real do problema, ela tira do foco o centro do caos, e conduz a orbitação em seu entorno. Ora, Karl Marx descobriu que a única forma de controlar o caos, é entrando no seu eixo e sufocando-o, reprimindo-o, até que ele seja controlado. O caos sistêmico é de natureza politica, consolidada na divisão econômica da sociedade em classes, baseada na exploração humana.
    O que pudemos observar na luta dos bombeiros do Rio de Janeiro, é que existe um campo muito fértil para ação em todas as categorias do proletariado. O impulso das massas se revela, sempre que o arroxo econômico se faz presente, em antagonismo com a opulência financeira da burguesia. As diferenças econômicas produzidas pela acumulação de riqueza de um lado e pobreza em outro, leva  a classe dominante a evitar embates políticos e manter a discussão no plano econômico, longe do centro nervoso do caos, que é a natureza politica. No entanto, ela não consegue controlar todas as ações, e muitas vezes resulta em fuga de direção, levando a revelação de sua natureza. No momento em que a policia age com violência, enquanto força de opressão, dá à repressão, um caráter político, fascista moderado.
    Um fato curioso é que a massa em ebulição, no caso os bombeiros do Rio, recusaram suas lideranças tradicionais nas negociações. Cansados de peleguismo, negociações brancas e sindicalescas, optaram por lideres nascidos no caos da luta, e não abriram mão dessa prerrogativa. Pudemos contemplar um fato cientifico: O nascimento do elemento consciente brotado do espontaneísmo da massa em luta. Considerando esse fato, nos reportamos a Lenine, quando afirma que: "O sindicalismo é justamente a escravidão ideológica dos operários pela burguesia". A luta sindical da categoria em nenhum momento levou a massa a luta politica, engessando-a na mediocridade da luta econômica. Esse fato novo obrigou o Governador Sérgio Cabral a fugir a regra e negociar diretamente com os "insubordinados", ou "Vândalos", como ele mesmo se referiu, mas que voltou atrás em sua infeliz declaração. Que isso sirva de exemplo para as demais categorias.
Sérgio Cabral: "São Vândalos"
    Alguns moralistas acusaram os trabalhadores bombeiros de imorais, por terem invadido o batalhão. Mas, "em uma sociedade fundamentada sobre a exploração, a moral suprema é a moral da revolução socialista".      
       Estamos a caminho!