Escolhemos o caminho da luta ao da conciliação (vladimir llyitch uliánov lenin)

quinta-feira, 30 de junho de 2011

O CODIGO DA DESONRRA


Aldo Rabelo do PCdoB
Relator do Código da
Desonrra
O QUE DESEJA A ESQUERDA

   Eu andava por Copacabana certa tarde, quando me aproximei de duas moças que discutiam filosofia. Me chamou atenção quando uma delas se expressou da seguinte maneira: Eu não sou comunista! Eu não quero e nem pretendo a revolução. Eu quero Evolução! Apesar da ingenuidade do pensamento, a expressão me levou a algumas considerações.
   A evolução é fator preponderante para a sobrevivência da humanidade. O problema é definir o que é a evolução, os seus efeitos desde o ponto de partida, e a partir de onde ela se origina. Para isso não custa nada lembrar o que diz o livro da mitologia Judaico Cristã, a Bíblia, quando da indicação Mateus 7:16, "Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Expressão interessante. A Uva é doce  delicada; o Espinheiro é rude,  indigesto. Assim é a dialética histórica. Vamos imaginar que as Uvas seriam na dialética histórica, o Socialismo. Os Espinheiros, o Capitalismo. Os homens que compõem esse processo dialético, podem optar por revolucionar destruindo os Espinheiros (capitalismo) e plantando Uvas,(socialismo) e a partir dai, promover a evolução do processo com enxertos e mudanças para que em sua evolução as uvas fiquem cada vez mais doce e agradável. Pode também, optar pela evolução a partir do espinheiro, (capitalismo) e não terão nada mais que espinhos. Maiores, menores, pontudos ou não, mas ainda serão espinhos.
   Após tantos anos de luta, a esquerda ainda não aprendeu que o processo de evolução na atualidade, é a partir do espinheiro. E ela, a esquerda, participa desse processo ingenuamente, produzindo espinhos, direta ou indiretamente, e de toda espécie. Ao aceitar a luta nos moldes do atual sistema, ela aceita tudo o que o evolucionismo, a partir do espinheiro propõe, inclusive o novo código florestal. Ela está inserida dentro dele, e nada poderá fazer para evita-lo. A justiça, o congresso, e o executivo , pertencem a burguesia (são frutos do processo da evolução sistêmica do espinheiro) e eles podem fazer o que desejarem. O espinhal sistêmico  pertence a eles e existe para eles.
   Para construir um novo código florestal honrado, digno da beleza e candura de uma videira, (socialismo) é preciso queimar um pouco mais de árvores, - dessa vez seriam os espinheiros- e colocar um fim ao sistema(capitalismo). E como se promove esse fim? Primeiro precisamos entender o seu começo e o que o sustenta. O poder de fato não está nos cargos eletivos do processo burguês, ele é apenas um mecanismo de gerenciamento  O poder está nas armas que a burguesia possui e que a sustenta. Foram as armas que regaram os espinheiros com o sangue derramado do proletário. Não será com criticas que se destruirá o espinheiro e se constituirá uma videira. Nos esquecemos da lição do imortal líder chinês Mao Tsé Tung? "A arma da critica não suplanta a crítica das armas". Foi dessa forma, pelo poder das armas que a burguesia instituiu e mantém o poder, e só através das armas ela o perderá.
Não se colhe Uvas de Espinheiros
   Em vez da esquerda ficar de blá blá blá até ser silenciada com a aprovação do novo projeto, com irrelevantes mudanças, deveria fazer uma auto-critica e partir para a ação. A evolução partindo da miséria e destruição dos recursos naturais, que o espinheiro promove, só nos levará a mais miséria e destruição. 
   Os iluministas e humanistas já não se contentam mais com a ira e a indignação dos discursos inflamados, e exigem da esquerda uma revolta.