Escolhemos o caminho da luta ao da conciliação (vladimir llyitch uliánov lenin)

sexta-feira, 1 de abril de 2011

MORRE JOSÉ DE ALENCAR


Se existe de fato a polaridade céu e
inferno, acho que o rabicho de alguém
vai virar churrasco.
POR QUEM CHORA A BURGUESIA?

  Um parente chora a morte de um parente. Um proletário chora a morte de um proletário caído na luta. Um burguês chora a morte de outro burguês!
   A despeito do que arrazoa a imprensa, o vice- presidente José de Alencar, não foi em sua vida uma flor que se cheire. Apoiador do famigerado golpe de 64 calou-se diante da tortura, morte, e seqüestro dos comunistas. Teve situação privilegiada nos sucessivos Governos, juntamente com outros empresários que ganharam concessões e direitos especiais para exploração de recursos minerais e financeiros do País. A saber, Roberto Marinho, Antônio Erminio de Moraes e outros. Dono da Coteminas, indústria do setor têxtil, Alencar fez fortuna baseado na exploração do trabalho humano, aplicando a mais-valia com baixos salários.
    O empresário usou de sua posição de Vice-Presidente, para coagir a justiça corporativista burguesa, a fim de arquivar os processos de crime hediondos, como trabalho escravo. Em 2007, “Foram resgatados 26 trabalhadores em condição análoga à de escravos de um local que faz parte de um projeto de exploração de eucaliptos para o abastecimento das caldeiras da unidade da Coteminas em Blumenau (SC)”.
    Depois de tudo o que as instituições da burguesia fizeram por este cidadão, o que se poderia esperar dele seria o mínimo de Nacionalismo, contribuindo com o desenvolvimento do País e melhoria das condições de vida de “seus próprios escravos”. A forma como ele poderia retribuir seria pelo menos pagando os encargos sócios de forma correta, ao invés disso, buscava contratar os “gatos” a fim de terceirizar a atividade, sem gerar compromisso social. "O fato é que o número e a intensidade das violações constatadas na propriedade favoreciam diretamente a atividade econômica e permitem compor um quadro estarrecedor de completo desprezo pela dignidade humana dos trabalhadores por parte daqueles que se utilizam da sua força e dos seus serviços", afirma o documento feito pelos fiscais. Além disso, a Coteminas é acusada também de forçar demissão de funcionários que apresentaram caso de hepatite do tipo B.
     Não fica por ai não, o empresário para fugir da alíquota de importação dos EUA, se apropriou em 2008, dos benefícios da invasão do Haiti por tropas brasileiras, e montou uma fabrica de tecidos, tendo em vista que o tratado de livre comercio com o caribe, isenta as empresas de impostos de importação nos EUA. O problema é que no Haiti o trabalho é escravo, e assegurado por tropas Brasileiras. US$ 0,50 por hora, contra US$ 3,27 no Brasil.
    Em sua vida política, Alencar teve participação direta em escândalos de apropriação do patrimônio do trabalhador. Em 2005, Duda Mendonça denuncia no mensalão do PT, caixa dois na chapa do empresário. Ele recebeu um milhão, e foi denunciado na CPI dos correios. A justificativa foi fornecimento de camisas para ao PT. O presidente nacional do partido, Ricardo Berzoini desmentiu o fato, de que essa grana tenha passado pelo caixa do partido. Uau, que coisa feia em seu José.
Greve por dignidade
   Em sua vida pessoal, o bom moço sempre foi devasso. Não teve caráter e dignidade suficiente para reconhecer uma filha, Rosemary de Morais que desde 2001, luta pelo reconhecimento do pai que se recusou a fazer os exames de DNA determinado pela justiça.
    Bom, além da burguesia não creio que mais alguém esteja chorando a morte do Zé. Nós proletários, não tivemos nada a ganhar com ele em vida, e possivelmente após sua morte, seus filhos darão continuidade a exploração humana, e ao enriquecimento ilícito. Resta-nos a considerar, se de fato existir vida após a morte, e houver mesmo a polaridade céu e inferno, o rabicho de alguém vai virar churrasco.
    No mais, já vai tarde!