Escolhemos o caminho da luta ao da conciliação (vladimir llyitch uliánov lenin)

domingo, 7 de outubro de 2012

DO OUTUBRO VERMELHO

Lenin e o outuro vermelho
AO OUTUBRO ROSA

    Mais uma vez a burguesia internacional se faz presente na tergiversação da história. Essa prática possui um caráter cientifico; pois, torna-se quase impossível apagar um fato histórico, é mais prático substituí-lo. 
    Um grande exemplo dessa prática, foi o onze de setembro ocorrido no Chile em mil novecentos e setenta e três.  Liderados pelos Estados unidos,  os militares bombardearam e destruíram o palácio presidencial matando Salvador Allende, o primeiro presidente socialista das Américas, vitorioso nas urnas dentro do processo eleitoral democrático burguês. Até pouco tempo esse evento era comemorado no mundo inteiro, tornando-se um calo no calcanhar da Burguesia internacional. Como não pôde ser apagado, ele foi substituído pelo onze de setembro de maior apelo emotivo, com a destruição das torres gêmeas nos EUA. Este novo evento  ganhou  o apoio da imprensa mundial, num esforço coletivo de tergiversação Histórica.
   Um outro acontecimento de grande envergadura, foi o Outubro Vermelho. Acontecido no século passado, em mil novecentos e dezessete, na Rússia, onde os trabalhadores liderados por Lênin, assumiram, em um processo revolucionário, o controle das riquezas do estado burguês. Esse exemplo influenciou o proletariado mundial, e outras revoluções começaram a ser construídas em diversos países inclusive no Brasil, tornando-se um evento internacional.
   Este outro calo no calcanhar da burguesia  precisava ser exterminado, ou substituído. Então, em 1990 em Nova York, o movimento simpático contra o câncer de mama  ganhou o nome de Outubro Rosa. Era isso que a burguesia esperava, um substituto popular para o Outubro Vermelho. Esse movimento poderia ter sido chamado de Março Rosa, já que é esse o més das mulheres. O projeto é importante, erradicar o câncer de mama. Esse mal que afeta milhões de mulheres em todo o mundo. Mas o apelo social e de saúde não suplantam o apelo revolucionário para libertação da raça humana das mazelas criadas pelo capitalismo. Inclusive o descaso de seus governos à saúde feminina, citando-se o próprio câncer de mama.
A Burguesia e o Outubro
Rosa 
   Agora,  a pequena burguesia animada com a renovação de ideias banais, se movimenta como peça de um xadrez, levada a reboque pelos senhores do capital, em grandes manifestações e passeatas pelo novo Outubro. Grande parcela do proletariado desinformada, segue também esse rumo sob os fortes apelos midiáticos. Trocar um evento revolucionário por um apelo de saúde, é no minimo uma arrogância; no entanto,  parece ter sido um negocio lucrativo para os senhores do capital, que com sucesso, comovem os incautos, e tergiversam  mais uma vez a Historia revolucionaria do proletariado mundial.